Alvaron

SEO para todo mundo entender e praticar – parte II

No primeiro post desta série, enfocamos conceitos básicos de SEO, sua história, e técnicas valiosas para você mesmo cuidar do SEO de seu site sem mistério.

Vale lembrar que a intenção aqui, como explicado no primeiro post, não é criar um material de referência para profissionais de SEO, mas algo que permita à pessoas que trabalham em diversas áreas poderem ter uma melhor compreensão fundamental das estatísticas de seus sites na internet, sem precisar recorrer à especialistas.

Agora vamos avançar.

Bem, você já criou seu site, blog, landing page ou loja virtual, e está cuidando do SEO do site você mesmo, sem pagar uma fortuna por isso.

Tudo muito bem, tudo bacana, mas resultados precisam ser medidos.

Você só tem certeza absoluta se está indo rápido ou devagar olhando para o velocímetro. 

Você só tem certeza da temperatura com um termômetro.

Você só sabe com certeza as medidas de um móvel com uma trena.

Você só sabe se seu SEO está gerando resultados, com a ferramenta apropriada.

Google Analytics


Para quem está iniciando seu caminho ou sua evolução no SEO, o Google Analytics é a grande dica, mas antes de mais nada quero avisar algo importante:

O tutorial abaixo pode ser visitado e entendido por partes, aos poucos.

Se tudo parecer novo ou complexo demais para você, a dica é tentar compreender aos poucos cada parte, intercalando com o vídeo tutorial que está ao final do post e demais páginas que virão em sequência.

Usando o Google Analytics você poderá identificar, entre outros itens importantes:

  • Número de acessos
  • Localização geográfica dos visitantes
  • Como os visitantes chegaram ao seu site
  • Tempo de visitação
  • Caminho percorrido pelos visitantes no site
  • Quantos visitantes clicaram no seu site nos resultados de busca do Google

Neste outro post explicamos um pouco do básico dos conceitos básicos do Google Analytics.

Ele está bem resumido e poderá te ajudar também a dar início às suas avaliações sobre o desempenho do seu site, avaliar os pontos positivos do trabalho de SEO que vem fazendo e no que ele pode melhorar.

No início, manter o foco no essencial é a chave

O painel do Google Analytics pode parecer um pouco assustador no início, então o melhor é não abraçar o mundo com as pernas, focando em medir apenas alguns indicadores, que já vão mostrar para você os resultados reais mais elementares do seu site.

  • Os relatórios de Público-alvo ajudam você a entender seus usuários(de que regiões são, que dispositivos usam, quais os seus interesses, etc).
  • Os relatórios de Aquisição retratam a origem dos seus usuários(Google, outros sites, redes sociais, etc).
  • Os relatórios de Comportamento resumem o que seus usuários fazem depois que chegam ao seu site(quais as páginas mais visitadas, por quais páginas entram e saem, etc).

 

PARTE I – Público Alvo


Clique em RELATÓRIOS > Público Alvo > Visão geral

Duração média da sessão

O tempo que os visitantes passam no seu site é uma das métricas mais importantes.

Se um visitante passa muito tempo no seu site, é porque gosta do seu conteúdo.

Isso significa que seu site tem qualidade e valor, e de fato faz com que os visitantes queiram explorá-lo.

Pense em você mesmo, colegas e amigos.

Se estiverem procurando produtos e serviços no Google, quanto tempo “gastam” em um site?

Considerando que normalmente um cliente decide com duas ou três abas abertas em qual site ficará definitivamente, se você já sobreviveu aos primeiros 30 segundos, você já é um bom competidor 🙂

O tempo é relativo

Monitore, o tempo, mas entenda:

  • Quatro minutos é um tempo ótimo para posts no blog
  • Um minuto é um tempo ótimo para uma página de vendas
  • Um minuto é um tempo ruim para posts no blog

Veja que não basta olhar para o número, mas para o contexto a que ele se refere e o objetivo da página.

Se o objetivo da página é envolver o leitor para que sua autoridade se estabeleça e ele compartilhe o link, alguns minutos é um bom tempo.

Se o objetivo da página é captar nome e email, um minuto ou menos já basta. 

Páginas / Sessão

Um número alto de Páginas por Sessão pode indicar de conteúdo que os visitantes se sentem motivados a explorarem seu site, se ele é voltado a conteúdo, ou requer uma maior profundidade de leitura para entender a que ele se refere ou convencer o visitante a contratar ou fazer contato .

Porém, se os visitantes do seu site visitam 1, 2, 3 páginas em média, isso não é motivo para pânico.

Por exemplo, se os visitantes tem acesso logo de cara ou com dois cliques aos produtos e serviços que de fato podem adquirir no seu site, e fazer contato ou comprar agilmente, possivelmente o número de páginas visitadas por sessão será realmente mais baixo.

Por outro lado, se sua intenção é que o cliente adquira um produto ou serviço, ou entre em contato mais rapidamente por todas as informações e elementos necessários para isso estarem bem evidentes e bem colocados, um visitante navegando por muitas páginas, pode mostrar que seu site não está gerando a confiança necessário em que navega. 

É preciso pensar em cima dos números.

Sempre.

Analise seu  site do ponto de vista do visitante.

Se você estivesse procurando o produto ou serviço que seu site oferece, seria um sinal bom ou ruim você navegar por muitas páginas?

Taxa de rejeição

Uma alta taxa de rejeição significa que os usuários acessam seu site e saem assim que entram.

O Google está de olho nisso.

Portanto, se as pessoas acessarem continuamente seu site e saírem o mais rápido possível, isso não ajudará nada seu site a melhorar nos resultados de busca do Google.

A taxa de rejeição, assim como o tempo gasto em página é outra métrica relativa, que depende do contexto e objetivo de cada página.

Preste atenção nas páginas e posts que estão prejudicando sua taxa de rejeição geral, e trabalhe nelas.

Sua taxa de rejeição dependerá do seu segmento de atuação, do tipo de conteúdo presente em seu site e da origem do tráfego.

Por exemplo, se sua postagem responder à pergunta “Quanto custa pintar uma casa?”, o visitante tende a ler a resposta e sair do site, ou entrar em contato rapidamente com você, muitaz vezes sem perder tempo e fechando o browser imediatamente.

Existe hoje um certo consenso de que há taxas de rejeições médias que ocorrem para cada tipo de site e segmento de atuação. Então antes de se apavorar com suas taxas de rejeição, veja a lista abaixo:

  • 20% – 45% em lojas virtuais e ecommerces de varejo
  • 25% – 55% em sites B2B
  • 30% – 55% em sites cujo objetivo é gerar de leads
  • 35% a 60% em sites de conteúdo sem loja virtual
  • 60% – 90% em landing pages e páginas de venda
  • 65% – 90% em portais, blogs e sites de notícias e eventos

Se você tem um pequeno negócio, veja que uma alta taxa de rejeição não é mesmo o fim do mundo. Supondo que você preste serviços gerais e consegue atender 2 clientes por dia, em 20 dias no mês, são 40 clientes no total.

Para começar por baixo, se você tem um blog que atrai 100 possíveis contratantes por mês, e destes 10% acabam fechando com você pelo WhatsApp através do site, você já tem 25% dos clientes que pode atender no mês.

É um ganho e tanto para uma pequena empresa ou profissional liberal.

Então, trabalhe sim para envolver o cliente, mas não esqueça que é normal qualquer esforço de venda ou demonstração de produtos, inclusive o seu site, não gerar negócios com todas as pessoas que interagem com eles.

Nós temos outro post, onde explicamos como evitar que os visitantes rejeitem seu site.

 

PARTE II – Aquisição


Clique em RELATÓRIOS > Aquisição > Visão geral

Direct, ou tráfego direto

Podemos dizer preliminarmente que este é o tráfego computado quando o visitante digita o domínio  de seu site direto no navegador e o acessa. 

Só que também pode estar computado aqui alguma fonte de tráfego que o Google Analytics não conseguiu determinar extamente de onde veio:

  • Acessos por links encurtados
  • Por links de emails(dependendo do provedor de email)
  • Cliques em links de aplicativos de redes sociais

Então a dica é sempre estar de olho e sempre usar links completos do seu site em campanhas para monitorar melhor este indicador.

Organic Search, ou Tráfego Orgânico a partir do Google

O tráfego orgânico oferece uma ótima noção de se sua estratégia de SEO está correta.

Aqui estamos falando de quando você é encontrado nas buscas do Google, após o internauta procurar algo, desconsiderando anúncios.

Um crescimento nos rankings de busca orgânica do Google, é um métrica confiável de que o o seu SEO está valendo à pena.

Se seu tráfego orgânico estiver melhorando, sua estratégia estará funcionando.

Se seu tráfego orgânico estiver nivelado ou diminuindo, será necessário alterar sua estratégia, e/ou postar mais, pois ou você não posta com a frequência suficiente, ou seus posts não estão agradando os visitantes que você quer transformar em clientes.

Aqui temos um post que dá dicas específicas sobre como melhorar seus resultados orgânicos: 

Postar no blog pode ser melhor do que pagar publicidade

Social

São as visitas a partir de redes sociais como Facebook, Instagram ou Twitter.

Aqui você consegue ver o quanto as pessoas estão acessando seu site pelas suas fan page e perfis, e verificar se sua estratégia de promoção nas redes sociais está gerando resultados.

Referral ou Referência

São os visitantes que vieram a partir de outros sites.

A verdade é que se você conseguir trocar links qualificados com outros sites, isto pode ajudar consideravelmente a melhorar o posicionamento de seus sites nos resultados do Google.

O que queremos dizer, é que por exemplo, vale à pena você ter uma seção de parceiros ou fornecedores no site e trocar um link para uma empresa que trabalha com você ali, por um link seu na seção de parceiros ou clientes da empresa em questão.

Também vale trocar um link em um post seu sobre determinado assunto, em um post do blog de uma empresa parceira.

Quando os links realmente têm a ver com o contexto e atuação, produtos e serviços de ambos sites, quanto mais melhor.

No entanto, não tente trapacear. Se você criar sites só para criar links para seu site, ou conseguir links para seu site totalmente fora de um contexto real, a tendência é seu site cair nos resultados do Google.

Clique em RELATÓRIOS > Aquisição > Search Console > Consultas

 

Para entender melhor este relatório, é bacana você acessar o post em que explicamos melhor a dinâmica básica das palavras chave no SEO.

Resumidamente, o que todos estes dados e números significam na análise relativa às palavras chave?

  • Consulta de pesquisa: É a palavra-chave ou frase pela qual o visitante chegou ao seu site.
  • Cliques: É o número de cliques nos links da página de resultados de Pesquisa Google(SERP), sem contar cliques nos resultados de pesquisa de anúncios pagos.
  • Posição Média: É a sua classificação para a palavra-chave, sua posição média na classificação, entre todos os sites e entre todas as consultas de palavras-chave.
  • Impressões:Toda vez que seu site aparece em uma busca do Google, isso conta como uma impressão. Se uma pessoa clica, além de ter contado como impressão, vai aumentar sua taxa de cliques.
  • Taxa de Cliques (CTR): Certamente, é importante ter uma classificação alta no Google, bastante impressões, mas a internet vive de cliques. Quanto maior sua CTR, mais tráfego o seu site receberá. Toda vez que alguém encontrar seu site no Google e clicar aumenta sua taxa de cliques. Se seu site aparece 100 vezes nos resultados de busca por uma palavra chave, e você teve 1 clique, a sua taxa é de 1%.

Aqui você verifica se está ou não segmentando as palavras-chave corretas.

Se não for possível encontrar seu site para as palavras-chave de destino, você precisará alterar sua estratégia para palavras-chave menos competitivas (pelo menos por enquanto).

Você também consegue ter a noção de se seu site está ou não crescendo. Com o tempo, você deverá ver suas classificações melhorar, bem como o número total de palavras-chave pelas quais seu site está sendo encontrado.

O crescimento nessas duas áreas indicará que seu site está ganhando autoridade e que suas postagens estão começando a captar mais tráfego de longo alcance.

Especialmente se você está apenas começando, não é tão importante se você tem boas classificações de palavras-chave ou não.

O importante é que você esteja vendo um aumento nas palavras-chave pelas quais o Google está entregando seu site para os visitantes, e se as posições na classificação estão melhorando.

 

PARTE III – Comportamento


Clique em RELATÓRIOS > Comportamento > Visão geral

Aqui você vai encontrar a quantidade e percentagem de visualizações de suas páginas.

Em um primeiro momento, o pequeno empresário, ou profissional liberal que está cuidando de seu SEO, deve procurar refinar seus links mais acessados, digamos os dois primeiros, e verificar tendo como base estes dois primeiros links, se consegue incrementar os dois links a seguir.

A ideia é trabalhar o que está dando certo para que dê mais certo ainda, e progressivamente fazer o mesmo com os links não tão prestigiados pelos visitantes.

Lembre-se que é melhor trabalhar bem uma página de cada vez, do que abrir várias frentes de esforço sem um foco.

Neste post, temos alguma dicas para estruturar o conteúdo de seu site.

Clique em RELATÓRIOS > Comportamento > Fluxo de Comportamento

Este Relatório exibe o caminho percorrido pelos visitantes no site.

É muito útil para entender qual conteúdo mantém os visitantes no seu site e quais o fazem desistir.

Ao mostrar de forma visual como os visitantes percorrem seu site, este relatório, entre outras coisas,  pode revelar:

  • Se seus visitantes estão chegando ao seu site como você esperava e seguindo o caminho que você planejou 
  • Se seus posts estão sendo mais encontrado e acessados do que as páginas de seu site
  • Se seus visitantes estão desistindo do seu site onde você não achou provável que isso aconteceria

 

Pronto. Agora é hora de ficar de olho no Google Analytics

Agora você já tem condições de  começar a monitorar e entender os resultados que está obtendo com o seu trabalho de SEO.

Se parecem muitos painéis, indicadores e relatórios, escolha um deles para começar e dedique-se apenas a ele, até achar que pode lidar com mais relatórios.

Ao verificar regularmente o Google Analytics, você poderá estabelecer prioridades e objetivos, em vez de perder tempo com tarefas de SEO que na verdade não fazem tanta diferença em seus rankings.

Cursos e tutoriais oficiais do Google para iniciantes, de graça

Se você quer mais, o próprio Google vai te ajudar. 

Tem até vídeos tutoriais, bem bacanas, inclusive legendados no Canal do Google Analytics do Youtube.

Ele oferece também uma série de tutoriais como este que ajuda a aprender a usar o Google Analytics.

Nota:

Para usar o Google Analytics, você precisará implementar o código de acompanhamento no seu site.

É mais simples do que parece, ainda mais se seu site for WordPress. Muitos temas pedem apenas o ID do Google Analytics e há plugins como o Insights que é grátis até coloca os indicadores principais dentro do painel de gerenciamento do WordPress.

Outro plugin bacana é o Google Analytics WordPress bastante popular com muitos donos de sites.

Vale à pena o trabalho inicial de configuração, pois depois você poderá realmente avaliar se seu site está gerando resultados ou no caminho certo para tanto.

Se precisar de ajuda com isso, entre em contato.

Fazemos a implementação do Código de acompanhamento Google Analytics no seu site para você em média por apenas R$ 70.

Estamos aí para te ajudar com o SEO de seu site. Peça um orçamento sem compromisso.

Tecle pelo WhatsApp 51 9 96547672 ou Envie um email para contato@alvaron.com.br

 Telegram