Alvaron

Como começar a criar bons posts(que convertem) em seu blog

Este é um guia prático, então vamos ao que interessa, com dois pequenos toques antes.

Já expliquei anteriormente que posts de blog em médio e longo prazo podem ser mais efetivos em trazer novos contatos de clientes e negócios do que publicidade paga, você pode dar uma olhada se achar interessante.

Também pode ser interessante você dar uma conferida em uma série de posts sobre conteúdo que começa aqui(explicando como iniciar sua árvore de conteúdo) e neste post onde abordo a dinâmica que a experiência me mostrou que um site de pequena empresa ou profissional liberal deve ter atualmente para gerar negócios.

A estratégia inicial é criar o máximo de posts com boa qualidade

Pense no seguinte como meta inicial: ter o máximo de posts possíveis em seu blog, com o máximo de qualidade.

Você pode começar com posts de 3 ou 4 parágrafos, para ter volume inicial mesmo, contanto que sejam de fato interessantes.

Melhor ter 5 bons posts do que dez não tão bons, mas é melhor ter 5 bons posts do que dois ótimos, de início.

O seu conteúdo pode ser decisivo, tanto para captar dados de clientes para contato futuro ou envio de newsletters, receber pedidos de informações, ou mesmo efetivar imediatamente novos negócios.

Lembre-se de falar sobre assuntos que realmente interessam seus clientes, e o público a eles ligado. Pense com carinho em cada post como um anúncio de publicidade, que está promovendo sua empresa, produto ou serviço.

A tática é envolver o cliente ou quem pode influenciá-lo

Quando abordamos envolvimento, não estamos falando de algo predatório.

Esqueça o blog por um momento, esqueça o mundo digital.

A troca

Pense numa rua com vários negócios e você andando nela. Se alguém meramente grita preços e alardeia a melhor oferta, talvez você até entre para comprar algo que está já em mente, mas se você passa na frente de uma loja e só recebe um bom dia, talvez você já se encante com o ato gentil e gratuito e olhe para o vendedor e para as mercadorias em volta.

Isso porque se estabeleceu uma troca: o vendedor foi gentil de forma gratuita e em troca você foi gentil de volta, por coincidência, ali está uma Smart TV que você vinha pensando em comprar. Como há uma troca de gentilezas estabelecidas, você resolve perguntar o preço, só para ter uma ideia.

O envolvimento

Ao perguntar para o vendedor sobre o preço e condições para adquirir a Smart TV, ele pergunta de volta, se você pretende usar a TV em seu quarto ou sala, se ela se destinará a acessar mais a internet, jogar games ou assistir filmes.

Com isso surgiu um diálogo. A troca continua, e você e o vendedor estão agora dialogando sobre vantagens e desvantagens, escolhas e consequências. A venda em si está em segundo plano, e na verdade ela sempre esteve e sempre estará, a menos que você esteja precisando ou querendo muito a TV logo.

Então a partir daqui, a equação passa a ter como fatores a sua necessidade daquela TV, a competência do vendedor em demonstrar que o produto as atende, e as condições de aquisição versus sua disponibilidade de recursos, mas o fundamental é que a troca e o envolvimento estão estabelecidos concretamente através de um diálogo.

O resultado

Caso a venda não feche, no mínimo você provavelmente ganhou um defensor, que vai contar aos amigos e familiares como foi bacana ter interagido com a sua empresa. Talvez você até concorde em deixar seu email, para receber novidades da loja.

Então, independente do resultado final, que deve ser sim a venda(sua empresa precisa lucrar para sobreviver) já se estabeleceu um relacionamento de troca, ganha-ganha com o cliente. Isto já é muito mais do que um cliente que fugiu de uma abordagem muito agressiva e preferirá ignorar sua marca pelo assédio.

Então voltando ao blog, ao mundo digital, o que você quer é que a venda seja uma consequência natural de um processo de troca, envolvimento e diálogo, pois isto é sustentável a médio e longo prazo, e cria clientes que tendem a ser parceiros, fãs, defensores e promotores espontâneos de seu negócio, independente de comprar de você ou não.

Colocando a mão na massa(medidas operacionais)

Agora que temos objetivo, estratégia e tática, é só executar a missão.

Então, como postar no blog, como sair do zero sem se perder no caminho?

Neste ponto pode ser interessante você dar uma olhada nestes dois posts:

Dicas para sua pequena empresa criar um blog bacana

20 ideias bacanas para posts relevantes no blog do seu negocio

Enfim chega de teoria, vamos à prática

Precisamos de um exemplo prático aqui.

Supondo que seu negócio fosse vender ebooks.

Você pode pensar em dois tipos iniciais de temas:

1) Drops dos livros, que não sejam trechos dos livros em si, mas que mostrem em poucos parágrafos a essência do que há nos livros e o benefício em adquiri-los. Aqui você pode usar palavras gatilho(veja como).

2) Notícias atuais relacionado com algo que há nos livros

Exemplo hipotético, supondo que você venda um livro sobre como melhorar a interpretação de textos:

Um bom título de primeiro post, seria “Apenas 30% dos alunos do ensino médio sabem interpretar textos”.

O conteúdo seria composto por dois parágrafos com a notícia resumida e mais dois escritos por você, relacionando com um método que ensina no livro para tratar este problema.

A chave é se comportar como aquele vendedor, que conversa com quem vai até a loja sobre sua necessidade, o produto e aspectos relacionados, deixando a venda em segundo plano sem deixar de desejá-la como meta. Esta atitude tende a vender mais do que aquele que jogar o preço e condições na cara do cliente, e além disso envolver mais o cliente.

Assim, digamos que abordamos em muitos sentidos o básico do marketing de conteúdo, e temos um bom ponto de partida.

Então apenas mais algumas dicas:

Solicite agora mesmo um orçamento sem compromisso para criar seu site, blog ou para consultoria de conteúdo.

Tecle pelo WhatsApp 51 9 96547672 ou Envie um email para contato@alvaron.com.br

 Telegram